Como escolher um Mestrado?

Para muitos universitários a conclusão da graduação é um sonho realizado e com ele vem o objetivo de conquistar aquela vaga de emprego ou ainda prestar um concurso público. Porém, é comum ouvir que é preciso estar sempre atualizado. E isso ocorre em todas as áreas do conhecimento, sendo que um dos motivos é porque nunca se produziu tanta informação como nos dias de hoje. Logo, aquela graduação tão sonhada e de tão difícil conquista começa a ficar desatualizada.

Uma vez concluída a graduação, é comum os universitários buscarem uma pós-graduação. Inclusive essa é uma exigência do Ministério da Educação (MEC), de modo que o aluno só inicie a sequência nos estudos após ter concluído a etapa anterior, nesse caso a graduação. Dentre as opções ofertadas é possível encontrar cursos na modalidade lato sensu (especialização) e cursos stricto sensu (mestrado). Neste artigo, falaremos de forma específica sobre o mestrado, abordando algumas dicas que o graduado deve observar antes de escolher um bom programa de mestrado.

Mestrado acadêmico

Os cursos de mestrado acadêmico são ofertados na modalidade presencial em sua maioria, com um alto nível de excelência e exigência. Isso porque, o objetivo é preparar o aluno tanto de forma profissional quanto acadêmica. Durante o mestrado o aluno vai cumprir uma série de disciplinas que fazem parte da grade curricular e de acordo com a linha de pesquisa escolhida e definida com o orientador. As linhas de pesquisa são ramificações mais específicas da grande área estudada e o aluno desenvolverá uma pesquisa científica com a orientação de um professor doutor. Ao final do curso, que normalmente leva aproximadamente dois anos dependendo da instituição, os resultados da pesquisa são apresentados na forma de dissertação para uma banca examinadora.

Para ingressar num programa de mestrado o aluno deve possuir ensino superior completo, assim como, é desejável alguma experiência na área pretendida. A seleção pode variar de uma instituição para outra, mas na maioria é realizada uma análise curricular e documental. Nos casos de cursos envolvendo a área de computação é exigida a participação no Exame Nacional para Ingresso na Pós-Graduação em Computação (POSCOMP) que é aplicado pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) em todas as regiões do país. Outro requisito que pode ser exigido durante o processo é a apresentação de um projeto de pesquisa.

Mestrado Profissional

No mestrado profissional, assim como ocorre no mestrado acadêmico, é necessário que o aluno desenvolva uma pesquisa científica. Essa pesquisa, por sua vez, deve resolver um problema enfrentado na área de atuação profissional e do curso; a partir de uma hipótese, assim como realizar testes e análises comparativas com os trabalhos já desenvolvidos na área. Entretanto, diferentemente do mestrado acadêmico em que o aluno se tornará um pesquisador ou professor, no mestrado profissional a ênfase é direcionada à área técnico-científica. Uma vez que o objetivo é alinhar o conhecimento adquirido com as necessidades do mercado.

Mestrado acadêmico versus profissional

Muitas instituições oferecem as duas modalidades de pós-graduação, sendo o mestrado acadêmico a mais ofertada. Em ambos os casos o MEC confere o mesmo grau e demais prerrogativas, dentre elas o exercício da docência, e como todo programa stricto sensu a validade nacional do diploma condicionada ao reconhecimento prévio do curso.

A escolha deste tipo de mestrado deve estar relacionada com a área de atuação do aluno, ou seja, caso o objetivo seja seguir a área acadêmica (dar aulas em universidades, por exemplo) ou trabalhar em ambiente comercial. Conforme comentado anteriormente, caso você opte por um mestrado profissional também estará apto a dar aulas e terá uma perspectiva melhor de como aplicar as técnicas em ambientes reais de produção.

No caso específico da área de Inteligência Artificial: atualmente o número de empresas que pretendem aplicar inteligência artificial em seus negócios está aumentando bastante. Portanto, um mestrado profissional com projetos práticos dentro dessas empresas pode abrir novas oportunidades/vagas de trabalhos, bem como a possível criação de novos produtos inovadores.

Critérios a serem considerados na escolha de um mestrado

Conheça à área pretendida

Um dos primeiros critérios a serem considerados é conhecer a área pretendida. Isso porque, quanto maior o nível da titulação maior é a exigência e o grau de aprofundamento no estudo. Na maioria das vezes é importante, e em alguns casos pode ser considerado um pré-requisito, ter conhecimento ou experiência prévia na área pretendida. Assim como, logo que iniciar o mestrado o aluno deve estabelecer planos e metas com seu orientador, uma vez que isso facilita o caminho a ser percorrido. Identifique quais disciplinas, trabalhos, grupos de estudo entre outras atividades terá que estudar e defina horários para estudo e para lazer.

 Um outro fator muito importante é saber falar um segundo idioma, na maioria dos casos, o inglês. Isso porque grande parte dos documentos disponíveis na internet normalmente estão no idioma inglês. E lembre-se, assim como era na graduação, toda pesquisa acadêmica deve ser realizada considerando outras fontes como artigos livros e vídeos, ao qual deverão ser referenciados no texto e no final do documento respeitando as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Além disso, os programas de mestrado que o aluno tenha nota mínima em um teste de proficiência no segundo idioma.

Uma questão muito comum de alunos que estão pensando em fazer um mestrado: você tem alguma ideia de projeto de pesquisa que posso desenvolver? Os programas de mestrado já tem suas linhas de pesquisa definidas, portanto, se você se candidatar para um mestrado que a linha principal é aplicação de inteligência artificial na medicina, dificilmente será aceito um projeto de aplicação de IA na área jurídica. O ideal é você pesquisar vários programas de mestrado e acessar seu respectivo site, pois nele você encontrará informações como: linhas de pesquisa, últimas dissertações produzidas, conferências que o programa tem participado e informações sobre os professores. Com essas informações, você pode tomar uma decisão sobre qual área seguir e principalmente, se o programa de mestrado é adequado com a área que você pretende atuar.

Muitos alunos também tem receio sobre a produção do projeto de pesquisa que devem enviar para o programa de mestrado. Uma dica é entrar em contato com algum professor e perguntar em qual área eles estão precisando de aluno, pois em geral, a maioria dos programas de mestrado já tem pesquisas em andamento e projetos já prontos, só esperando encontrar o aluno ideal para trabalhar.

A qualidade do mestrado e o corpo docente

Um indicativo muito importante é verificar a quantidade de mestres e doutores lecionando no curso pretendido (principalmente doutores), pois isso afeta diretamente na qualidade do trabalho final. Outro requisito é que o aluno desenvolva o mínimo de autonomia nos estudos. Entretanto, essa autonomia condiciona-se à orientação de um professor e quanto maior for a experiência dele melhor. Com o objetivo de avaliar os docentes, a CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), órgão do Ministério da Educação (MEC), avalia todos os programas de pós-graduação do país, atribuindo uma nota, assim chamado de Conceito CAPES. Esse conceito pode variar entre 3 e 7, e dentre vários quesitos, são avaliados a titulação e a produção científica dos docentes do curso. Assim como, tempo que leciona na instituição e orientações acadêmicas. Ou seja, quanto mais qualificado o professor, maior é a nota recebida. E isso pode significar reconhecimento no mercado e a certeza que a troca de conhecimento será feita com profissionais altamente qualificados.
Uma segunda alternativa, caso o aluno não tenha tanto conhecimento sobre o professor, é utilizar a Plataforma Lattes. Na qual é possível realizar uma pesquisa e encontrar o currículo acadêmico do professor com informações sobre a formação, linhas de pesquisa, programas e projetos que participa. O currículo Lattes também se destina aos alunos, uma vez que funciona como um portal de verificação das informações apresentadas, que podem ser utilizadas por instituições de ensino e órgão do governo como a CAPES e o CNPq.

Internacionalização da Pós-Graduação

Como mencionamos, saber falar um segundo idioma é muito importante em várias ocasiões. E uma delas se refere a internacionalização do programa de pós-graduação. Ou seja, acordos bilaterais entre dois países, a fim de promover o desenvolvimento de projetos de pesquisa em conjunto com grupos brasileiros e estrangeiros. Ações como essas facilitam a troca de conhecimentos e experiências, além de contribuir para a obtenção de financiamento estrangeiro para pesquisas.

Portanto, antes de iniciar uma pós-graduação analise e verifique se o curso se adequa a você estudante. Avalie a área pretendida como um todo, bem como o mercado de trabalho, pois é daí que virão os seus recursos financeiros no futuro. Uma forma interessante de verificar os itens apresentados é assistir aulas como ouvinte, na qual você pode conhecer um pouco mais sobre a instituição, professor e o curso desejado. Isso pode variar de uma instituição para outra e talvez seja necessário realizar algum tipo de cadastro ou matrícula prévia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *