Inteligência artificial aumentada disponibiliza melhores predições para tarifas corporativas em hotéis

Os departamento de empresas responsáveis por programar viagens de negócios são geralmente desafiados a encontrar tarifas competitivas para manter os custos sob controle. A oferta é tão diversa que muitas vezes eles próprio usam serviços ofertados por outras empresas para filtrar e negociar tarifas em função de variáveis como destino, número de pessoas e qualidade das acomodações. Entretanto, a maioria das comparações é baseada em médias de natureza generalizada, onde muitos fatores não são levados em consideração, estejam os dados disponíveis ou não. Como resultado, as empresas cujos funcionários precisam viajar acabam perdendo oportunidades de economizar.

A HRS, uma empresa líder provedora de serviços hoteleiros, anunciou no início do mês que está passando a usar uma tecnologia inovadora de projeção de tarifas, que emprega o conceito de inteligência artificial aumentada, sendo uma das primeiras empresas do mundo a usar a abordagem na oferta de seus serviços. A vantagem da inteligência artificial aumentada é que ela usa múltiplos modelos de predição ao invés de apenas um, que são combinados para alcançar uma precisão maior, e uma rotina automatizada escolhe os resultados com menor erro. Os modelos adotados pela HRS já são usados em instituições financeiras, redes sociais e lojas virtuais, sendo capazes de fornecer predições em vários cenários, com dados de natureza diversa.

A predição de tarifas hoteleiras não é uma tarefa fácil, já que são muitos os fatores que impactam no seu resultado final, como padrões de longo prazo ligados à sazonalidade, padrões de curto prazo como eventos esportivos e convenções, e tarifas corporativas médias. Modelos de predição bem sucedidos devem usar informações referentes a buscas realizadas por interessados, dados de reserva nos hotéis, algoritmos para mensurar o erro em projeções anteriores, e dados compilados dos modelos em relação a destinos específicos. O uso de inteligência artificial aumentada permite identificar, a partir dessa imensidão de dados, padrões específicos a cada mercado, em poucos segundos, de forma contínua.

O modelo integrado desenvolvido pela HRS tem a capacidade de explorar quatro anos de histórico acumulado de tarifas corporativas, em mais de 200 países. Ele é habilitado a se auto-corrigir periodicamente, em função das discrepâncias encontradas nos relatórios que está programado para emitir, melhorando continuamente sua precisão. O modelo também deve se beneficiar dos mais de 500 especialistas que trabalham na empresa, os quais podem fornecer dados mais relevantes, com base nos seus insights de conhecimento de mercado local.

A HRS garante que a nova ferramenta vai possibilitar melhores negociações, ajudando seus clientes – dentre eles gigantes como Google, Siemens, Alibaba e Volkswagen – a economizar pelo menos 10% nos seus destinos mais comuns.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *