Coisas que a IA não substituirá

Em artigos anteriores, eu comentei sobre um dos grandes “perigos” que a evolução da Inteligência Artificial está começando a trazer, que é a substituição de vários cargos de trabalho por softwares inteligentes (leia o artigo). Gradativamente, aplicações de IA têm uma tendência muito forte em substituir várias tarefas que hoje em dia são exclusivamente executadas por humanos; visto que já existem softwares que pintam quadros, geram roteiros de filmes, criam poesias, dirigem carros, dentre várias outras aplicações.

Esse fato tem aberto algumas discussões sobre as implicações éticas do uso da IA, pois se os avanços continuarem assim muitos postos de trabalho serão invariavelmente substituídos! Isso tem levado a outras discussões com cunho mais filosófico sobre até onde a IA pode chegar e o que de fato pode ou não ser substituído. Recentemente, este artigo mostrou uma lista de coisas que IA não substituíra e agora vou explanar um pouco melhor quais são eles.

Como a automação está cada vez mais avançada, as principais habilidades que “possivelmente” não serão substituídas por softwares inteligentes (ou demorará mais tempo) são aquelas características únicas dos humanos, como por exemplo: relacionamento inter pessoal, sentimentos por outras pessoas, inspiração, sabedoria, experiências de vida, curiosidade, imaginação e desejo. Apesar de computadores já poderem de certa forma simular a imaginação na pintura de um quadro, eles conseguem essas informações analisando grandes bases de dados, diferentemente de um humano que “sonha” com algum feito. Em resumo, as máquinas não podem sonhar mas os humanos sim. Com relação a experiências de vida, quando você viajar certamente não vai convidar seu assistente pessoal inteligente para passear com você ou então manter um relacionamento com a Siri do iPhone! Outro exemplo é a sabedoria, pois um computador pode ser muito bom em derrotar o campeão de xadrez ou de Go, porém, ele não saberá lhe dizer como encontrar sua missão de vida ou então levar uma boa vida.

Como vimos até aqui, existem várias coisas que a IA não substituirá (pelo menos não tão cedo), as quais estão ligadas aos aspectos mais humanos. A tendência é que no futuro essas habilidades (como relacionamento inter pessoal, por exemplo) sejam cada vez mais valorizadas, sendo que em um mundo que tende a ser cada vez mais automatizado, é importante ficarmos atentos a esses valores para que consigamos manter nossa essência como humanos! Veja este artigo para detalhes sobre a IA Forte e IA Fraca, que trata justamente dessas questões.

 

Sê o primeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *