ALVINN: Carro autônomo

Você provavelmente já deve ter visto ou ouvido falar dos carros autônomos que dirigem sozinho e sem motorista, sendo que o principal e mais conhecido exemplo é o carro autônomo do Google. Dentro deste contexto, vários estudos estão apontando que num futuro próximo a profissão de motorista será totalmente substituída por essa tecnologia; inclusive já existem cidades nos Estados Unidos nas quais os motoristas humanos de táxis estão sendo substituídos por robôs (no Brasil ainda deve demorar um bom tempo para isso acontecer).

Mas você sabe qual foi um dos primeiros esforços da Inteligência Artificial para a construção desses veículos inteligentes? A resposta é o ALVINN (Autonomous Land Vehicle in a Neural Network – veículo terrestre autônomo em uma rede neural) que foi criado em 1989 na universidade de Carnegie Mellon nos Estados Unidos.

Como o próprio nome sugere, o algoritmo de aprendizagem de máquina utilizado foi uma rede neural em conjunto com o algoritmo de treinamento Backpropagation. Para ensinar a rede neural dirigir e manter o veículo na estrada, foram utilizadas como entrada imagens em vídeo de uma câmera posicionada dentro do veículo que grava como uma pessoa humana dirige e se comporta diante do ambiente. Com isso, depois de assistir como um humano dirige por três minutos, a rede neural já está pronta para assumir o controle do volante e dirigir sozinha sem interação humana! O sistema observa o humano dirigir e aprende que ações deve tomar, como por exemplo: quando a pessoa se aproxima de uma curva para a direita ela mudará a direção do veículo também para a direita. Nesse cenário, o ALVINN percebe esse padrão e aprende com ele para posteriormente reproduzi-lo por conta própria, ou seja, ele associa a curva na estrada com o virar do volante para a direita.

Veja abaixo um vídeo (em inglês) que mostra o funcionamento do ALVINN.

O ALVINN, apesar de não ser muito conhecido, é considerado por muitos como o “pai” dos carros autônomos. E para saber mais sobre o seu funcionamento, você pode fazer o download no link abaixo do artigo completo que explica o seu funcionamento.

 

 

Sê o primeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *